Arquivo por Autor

O GAROTO E A FLOR

Publicado: 06/04/2016 por Paulo Medeiros em Uncategorized

O estacionamento estava deserto quando me sentei para ler embaixo dos longos ramos de um velho carvalho.
Desiludido da vida, com boas razões para chorar, pois o mundo estava tentando me afundar. E se não fosse razão suficiente para arruinar o dia, um garoto ofegante  se aproximou, cansado de brincar.
Ele parou na minha frente, cabeça pendente, e disse cheio de alegria:

– Veja o que encontrei!

Na sua mão uma flor, e que visão lamentável, pétalas caídas, pouca água, ou luz. Querendo me ver livre do garoto com sua flor, fingi pálido sorriso e me virei. Mas ao invés de recuar ele se sentou ao meu lado, levou a flor ao nariz e declarou com estranha surpresa:

– O cheiro é ótimo, e é bonita também… Por isso a peguei; tome, é sua.

A flor à minha frente estava morta ou quase morrendo; nada de cores vibrantes como laranja, amarelo ou vermelho, mas eu sabia que tinha que pegá-la, ou ele jamais sairia de lá.
Então me estendi para pegá-la e respondi:

– Era o que eu precisava?

Mas, ao invés de colocá-la na minha mão, ele a seguirou no ar sem qualquer razão. Somente nessa hora notei, pela primeira vez, que o garoto era cego, que não podia ver o que tinha nas mãos.
Ouvi minha voz sumir, e lágrimas despontaram ao sol enquanto lhe agradecia por escolher a melhor flor daquele jardim.

–De nada, ele sorriu.

E então voltou a brincar sem perceber o impacto que teve em meu dia.
Me sentei e pus-me a pensar como ele conseguiu enxergar um homem auto-piedoso sob um velho carvalho. Como ele sabia do meu sofrimento auto indulgente?
Talvez no seu coração ele tenha sido abençoado com a verdadeira visão. Através dos olhos de uma criança cega, finalmente entendi que o problema não era o mundo e sim EU.
E por todos os momentos em que eu mesmo fui cego, agradeci por ver a beleza da vida e apreciei cada segundo que é só meu.
E então levei aquela flor ao meu nariz e senti a fragância de uma bela rosa, e sorri enquanto via aquele garoto, com outra flor em suas mãos, prestes a mudar a vida de um insuspeito senhor de idade.

Visão é a arte de enxergar coisas invisíveis.

~ Jonathan Swift

Expedicionários da Saúde – Médio Solimões

Publicado: 10/04/2015 por Paulo Medeiros em Uncategorized

Em 2010 tive o privilegio de participar da minha primeira expedição com os Expedicionários da Saúde, entrei nesse programa de índio justamente pra ajuda-los com um programa que estava sendo desenvolvido pela empresa que eu tinha acabado de entrar. Na época, eu cheguei a postar aqui no blog que escreveria sobre essa viagem… se passaram 5 anos, 6 expedições e ate agora não consegui “por no papel” como é a experiência de uma expedição. Talvez porque por mais que eu tentasse explicar, acho que só participando mesmo, que você consegue ter a percepção de como é essa loucura toda.

Mas então recebi um apanhado de descrições, feitas no Facebook por alguns integrantes dessa ultima viagem e enviadas junto com os dados oficiais da ONG dessa ultima Expedição e pensei: Cara! Acho que juntando tudo isso, quase da pra dizer como é uma expedição! Então vou publicar aqui estes comentários e em seguida os dados oficiais dessa 32ª Expedição dos Expedicionários da Saúde no município de Tefé AM.

image005

“Uma semana que renova suas energias, te faz sentir e se tornar um ser humano melhor… No fundo vc não está apenas ajudando as outras pessoas e sim se ajudando tb! Cansaço… banho gelado… Acampar pela primeira vez… Mosquitos e grilos por todos os lados. Tudo superado por risadas o dia inteiro… Cumplicidade… Trabalho em equipe… Mtas cirurgias realizadas com sucesso… Pessoas maravilhosas que conhecemos e que tem objetivos em comum… Além do contato com a natureza e paisagem maravilhosa!!! Agradeço a família Expedicionários da Saúde (EDS) que me recebeu com mto carinho e ao Dr Fabio Costa (Pinguim) que me deu essa oportunidade de viver tudo isso!!! Parabéns EDS por atingir as 5 mil cirurgias e 30 mil atendimentos!!!” (Karin Myamoto, Cirurgiã) 

“32. Expedição EDS Tefé/AM – médio Solimões. Inexplicável admiração e satisfação em pode ajudar e participar da família EDS, que só leva o bem e saúde aos indígenas que tanto precisam . . . . muito bom!!!!!” (Mauricio Radicchi, Logístico) 

“Em que outro lugar vc viaja pendurado num cargueiro por 8h e vai rindo?
Trabalha igual um condenado sem ganhar e acha legal?
Aguenta calor, mosquito, barro e chuva sem reclamar?
Ouve risadas o dia todo vindas de todos os lados?
Conversa com todo mundo na hora das refeições, do trabalho, ou mesmo quando vai escovar os dentes?
Dorme em barraca uma semana e acha confortável? Acorda durante a noite com medo da mesma barraca amanhecer debaixo d’água e nem liga?
Tem coisas q só sendo expedicionário pra saber como é bom se fuder todo e sair melhor disso tudo.
Obrigado à família EDS por mais essa semana…” (Hugo Teixeira, Anestesista) 

“32 expedicao da Expedicionarios da Saude, desta vez em Tefe, médio Solimoes.
Mais uma vez uma experiência deliciosa, tocante, encantadora! Adorei!
Excelente trabalho! Parabéns a todos!!” (Iria Novais, Ginecologista) 

“Poucas sensações se igualam a satisfação profissional e pessoal da experiência que tivemos em Tefé, Amazonas, com os Expedicionários da Saúde. Apesar de voltar antes da hora, sinto a felicidade de poder ter contribuído um pouco nesse projeto tão lindo.” (Maria Augusta Bernardini, Ginecologista Pfizer) 

“Ticunas, Kokamas, Kambebas, Mayoramas, Kulinas, Miranhas e outras tantas etnias atendidas pela 32 Expedição dos Expedicionários da Saúde… Uma experiência incrível, que coloca cada um de nós frente ao desconhecido, a doenças, à floresta, mas que também te deixa cara a cara com a esperança, a fé, a cumplicidade, o amor ao próximo e a união! Enfrentamos mosquitos (milhares!!), chuva, lama, calor… Mas fomos recompensados com o sorriso, o olhar, a gratidão, um amanhecer incrível e paz! Amazônia, obrigada por nos receber! Indígenas, obrigada por nos ensinar muito com tão poucas palavras! Voluntários, obrigada por ensinarem e fazerem tanto em tão pouco tempo. EDS, obrigada pela lição de vida.” (Cristiane Santos Blanch, Parceira Pfizer) 

“Depois de uma semana muito intensa, aprendendo coisas novas, conhecendo muitas pessoas que levarei pra sempre comigo…estou de volta pra casa…com uma sensação inexplicável de ter feito um pouco pra ajudar um povo tão sofrido e com pouco acesso a saúde…
Muitos jamais entenderão!!!
Mas só posso dizer que estou muito feliz!!
Obrigada a todos pelo apoio…a EDS pela oportunidade!!” (Mariah Santos, Enfermeira) 

“Obrigado a todos que fizeram desta expedição um marco na historia dos Expedicionários da Saúde: 5 mil cirurgias! Missão cumprida! Parabéns!!!” (Julio Abucham Neto,  Oftalmo) 

“Hoje é Páscoa e nunca na minha vida senti o significado dela de forma tão forte dentro de mim. Estou voltando da expedição ao coração da Amazônia junto com esse grupo incrível que são os Expedicionários da Saúde, que foi, sem dúvida, depois do nascimento dos meus filhos, a experiência mais maravilhosa e transformadora da minha vida. Vou postar devagar alguns momentos dessa “vida” que aconteceu em uma semana de expedição …. Mas gostaria de hoje deixar com vocês as fotos de algumas crianças que me encantaram nessa jornada e que significaram o renascimento de Cristo, da esperança, e da necessidade de comungar um pouco da vida do outro na nossa vida.” (Luciana Fornari, Cardiologista) 

“Uma semana de trabalho intenso, entrega e doação, ouvindo histórias alegres e tristes também, vendo uma gente sofrida em busca de acesso à saúde e atenção, muitos saindo felizes, voltando a enxergar, sem os problemas que os afligiam, outros tendo que lidar com a frustração de não poder resolver ali seus problemas… Uma semana aprendendo com a gente da terra, vendo cada um dar seu melhor, os médicos, os enfermeiros, os logísticos, os agentes de saúde, até os vizinhos da comunidade que vieram ajudar a fazer tudo acontecer. Um trabalho feito com amor, dedicação, cumplicidade, carinho e delicadeza, seja no trato com o paciente ou com o seu colega voluntário que teve a barraca quebrada ou inundada, que levou inúmeras picadas de inseto e você tem aquela pomadinha, que não tem mais toalha seca ou repelente potente (artigo de luxo)…. Saio mais uma vez com um sentimento forte de gratidão pela oportunidade de colocar mais vida na minha vida e sair total e literalmente da minha zona de conforto – saio feliz, com a alma leve e serena. Obrigada Expedicionários da Saúde.” (Cristina Rigatto,  Logística) 

“De volta à “civilização”….muitas saudades da família, mas já com saudades dos novos amigos que fiz nesses dias de convivência intensa!!!!” (Ana Paula Lima, Farmacêutica) 

“Conhecer esse projeto e participar dele, posso dizer que foi uma das coisas mais fantásticas que aconteceu na minha vida! Gratidão pela experiência, pelos momentos únicos, pela sintonia, pelos amigos e oportunidade de fazer o bem a seres humanos que isolados e em condições precárias!
Carregar peso, viajar por horas em um cargueiro na mesma posição, tomar chuva, acordar com a barraca alagada e cheia de lama, sofrer com o barro e com os mosquitos mutantes que resistem a todos os repelentes…
Isso tudo não tem importância nenhuma perto do sentimento de fazer outras pessoas felizes! Indígenas que vivem isolados, lutando pelo resgate da sua cultura bem enfraquecida pelo contato com o homem branco…
Compartilhar a dor de não poder ajudar, a frustração de não ter o problema resolvido, a emoção dos pacientes com catarata em voltar a enxergar, a esperança, o alimento, O sorriso, o olhar e o sentimento de gratidão pela pouca atenção dada! Brincar e correr na chuva, comer as frutas do pé ou do chão junto com as crianças, andar horas de barco para ter acesso aldeias isoladas…Isso sim engrandece o coração e a alma. Experiência única!
E após quase 12 horas de viagem , 8 dias de trabalho no médio solimões e mais 10 horas de viagem para casa! Aqui estamos novamente, MISSÃO CUMPRIDA, de volta a vida normal e já nos preparando para a próxima expedição ! Família EDS!” (Fabiana Garcia, Logística).

“Parabéns “Expedicionários da Saúde” pelo belo e precioso trabalho que vocês desenvolvem em prol de uma melhor qualidade de vida para os indígenas. Nós do DSEI-MRSA estaremos de braços abertos para acolher uma nova “Expedição”. Abraços e Deus abençoe vocês nessas empreitadas pela Amazônia” Thiago Félix (Coordenador de enfermagem do DSEI Médio Rio Solimões ). 

Pra mim, poder fazer parte dessa equipe é um tremendo privilegio, um presente que Deus me deu a 5 anos. Me deu a oportunidade de mesmo trabalhando em TI, poder usar meu conhecimento e minha capacidade para poder ajudar a transformar a vida das pessoas, poder dar uma nova visão, poder dar uma nova força e isso não apenas metaforicamente, mas em suas realidades. Pois através desse trabalho já vi muitos senhores e senhoras que não enxergavam mais e viviam precariamente no meio da selva, poderem voltar pra suas casas sem precisar que alguém os guie e outros que não conseguiam mais pegar pesos por conta de suas hérnias voltarem satisfeitos, pois poderiam voltar a trabalhar em suas rocinhas… É difícil? É! É cansativo? É exaustivo! Vale apena todo esse esforço e “sofrimento”? Cara, o sentimento de satisfação no final de uma expedição por ter ajudado tanta gente, a alegria estampada no rosto de quem volta enxergar, a gratidão de um povo que te trata com tanto carinho por que você foi la pra ajuda-los. Não tem dinheiro que possa pagar essa sensação de dever cumprido, esse sentimento de amor ao próximo.

Agora vamos aos números:

equipe

Prezados amigos e parceiros,

A equipe dos Expedicionários da Saúde-EDS tem o prazer de informar os resultados de sua 32ª Expedição de atendimento clínico, cirúrgico e odontológico realizada entre os dias 27/03 à 04/04/2015, atendendo desta vez a população indígena do  médio  Rio Solimões e afluentes.

O Programa Operando na Amazônia atendeu 182 aldeias com uma população de aproximadamente 21.508 indígenas das etnias: Ticuna, Kokama, Kambeba, Mayuruna, Kulina, Miranha, Kanamari entre outras. Foram contemplados 14 municípios da região abrangendo uma área de 361.978,3 KM².

O Complexo Hospitalar foi montado na Barreira da Missão na Comunidade Barreira do Baixo no Município de Tefé – AM.

Essa expedição teve algumas peculiaridades e complexidades na logística em função da dificuldade de acesso às comunidades contempladas na região, sendo que a distância entre as aldeias  (Envira, Ipixuna ) podiam chegar até 1000km do local onde foi montado a Complexo Hospitalar, fazendo com que o transporte desses pacientes fosse viabilizado por meio de uma complexa combinação de uso de vias fluviais, terrestres e aéreas.Os médicos da EDS foram até essas aldeias para confirmar a triagem realizada pelos profissionais de saúde do DSEI- Distrito Sanitário Especial Indígena para evitar o deslocamento dos pacientes que não fossem cirúrgicos.

Os resultados alcançados só foram possíveis graças ao apoio de nossos parceiros, assim como: Ministério da Saúde (SESAI-DSEI), Ministério da Defesa (FAB-Exercito) e Ministério da Justiça (FUNAI), além do patrocínio fundamental de empresas, pessoas físicas e instituições socialmente responsáveis.

Foram realizadas na 32ª Expedição na Amazônia, um total de 290 cirurgias, 3.031 consultas médicas e odontológicas e 4.314 exames e procedimentos.

                         Abaixo quadro descritivo das especialidades:

 

ATENDIMENTO CIRURGICO EXAMES E PROCEDIMENTOS
Cirurgia Geral 143 Expedição Médio Rio Solimões e Afluentes
Cirurgia oftalmológica 142 Ginecologia Citologia oncotica 130
Cirurgia ginecologica 3 Ultrasson 99
Cirurgia odontologica 2 Biopsia 9
Total 290 Oftalmologia Acuidade visual 361
ATENDIMENTO AMBULATORIAL Fundo de olho 361
Consultas na Triagem Biomicroscopia 361
Cirurgia geral 515 Auto refração 361
Oftalmologia 437 Tonometria 361
Clinica medica 186 Ceratometria 90
Total consultas triagem 1138 Biometria 90
Consultas na Expedição
Cirurgia geral 183 Odontologia Raspagens 354
Oftalmologia 361 Restauração resina 290
Clinica medica 310 Restauração amalgama 165
Pediatria 236 Restauração ionomero 88
Ginecologia 284   

 

 

 

 

Total

Intervenção dental 829
Pre-anestesica 225 Profilaxia 85
Odontologia 294 Exodontias 280
Total consultas Médio Rio  Solimões e Afluentes 3.031
4.314

 

COORDENAÇÃO
RICARDO A. FERREIRA MÁRCIA ABDALA GENÁRIO KANASHIRO FILHO
EQUIPE MEDICA
OFTALMOLOGIA CIRURGIA GERAL ANESTESIOLOGIA
JULIO ZAKI ABUCHAM NETO CARLOS RENATO DELLA T SANCHES HUGO PIRES TEIXEIRA
PAULO JUNQUEIRA DE MELO KARIN NOBUE MIYAMOTO MARIA LUIZA VERSIANE
DENNIS HUEB FABIO CESAR  ATUI MARTIN AFFONSO FERREIRA
RODRIGO LOURENÇO CARDEAL DA COSTA FABIO COSTA PAGANINI RODRIGO TRINDADE FERRÃO
SERGIO TERUO MORI MARIA LUIZA C RAMOS WAGNER RIBEIRO DA SILVA
SIRO SHINTI NOZAKI ROBERTA MURASAKI RURASAKI
CLAUDIO GILBERTO YUJI NAKANO CLAUDIA LORENZETIRRTA
BRUNO MARTELI (Instrumentador Cirúrgico) DEA TERESA DE ALMEIDA TORRES
CLINICA GERAL GINECOLOGIA ODONTOLOGIA
JOSÉ CARLOS AQUINO VELHO IRIA RIBEIRO NOVAIS ANTONIO CARLOS ROSSETTO
LUCIANA SAVOY FORNARI MARIA AUGUSTA BERNARDINI FRANCISCO MENDES
PAULO MADUREIRA NIKOLLE FARIAS SOMER GUSTAVO SEBEN
PEDIATRIA   ENFERMAGEM JOSÉ EDUARDO CRUZ FERREIRA
 LETÍCIA ESPOSITO SEWAYBRICKER  AGNÊS RAQUEL CAMISÃO SILVA LUIS ALBERTO AGUIRRE
PRISCILA TATIANA GONÇALVES ALINE SALHRB ALVES PIVATTI LOGISTICA
NUTRIÇÃO ARANI CECÍLIA LOURENÇO BOLIVAR LUIZ CAMISÃO
ANDRÉ CARVALHÃES HUGUETE MARQUES KERR EDSON CALDAS LOPESS
IRACI MOTA JESUINA AP SOUZA VERGINIO EVALDO ALENCAR
WALQUIRIA LIMA DE ASSIS MARIA AP DOS SANTOS EWERTON
INFORMÁTICA MONA LUISA SABONGI IVO ALCANTARA
PAULO RENATO LEITE MEDEIROS SOANE CRISTINA DOS SANTOS( SESAI) JOÃO CORBETT
MIDIA FARMÁCIA JOÃO GUILHERME C BEBER
 GUSTAVO MAGNUSSON ADRIANE FIORI JOSE MAURI VALÉRIO

ALINE MORAIS RIBEIRO (Revista Época)

ANA PAULA CUNHA S LIMA

MARIA CRISTINA RIGATTO
ROGÉRIO DA C. CASSIMIRO (Revista Época) EMPRESAS PARCEIRAS MAURICIO RADICCHI
MILENA RAMOS BOURROUL (PFIZER) RYAN PINTO FERREIRA
CRISTIANE SANTOS BLANCH (PFIZER) FABIANA P DE OLIVEIRA GARCIA
 SERGIO CERQUEIRA LEITE (POSITRON)

LogoEDS

La cuisine de Paulão – Berinjelas Recheadas com Sardinha

Publicado: 25/02/2015 por Paulo Medeiros em Receitas

Hoje postei no meu instagram essa foto de uma Berinjela Berinjela_sardinhaRecheada com sardinha e algumas pessoas gostaram e me pediram a receita.

Já que minha intenção de ressuscitar esse blog era contar coisas que eu gosto então bora contar a receita.

Essa é daquelas receitas que passaram de geração pra geração, minha avó passou pra minha mãe e esta pra mim. Originalmente ela era feita com Aliche, mas em tempos de crise a sardinha vai muito bem obrigado(não aconselho atum por que acho o sabor da sardinha mais adequado ao prato). Você vai precisar também de uma Forma Fulgor como essa:

Forma Fulgor Talvez seja possível fazer no forno com assadeira convencional, mas nunca tentei, então não saberia dizer o tempo de cozimento dessa forma, se alguém tentar e ficar bom,  por favor, me diga como fez que eu incremento o Post e deixo os créditos 😉

 

 

 

 

Ingredientes:

  • 2 berinjelas grandes
  • 3 tomates
  • 1 Cebola
  • Azeitonas picadas
  • 1 Dente de alho
  • 3 Latas de sardinha

Modo de preparo:

Corte as berinjelas ao meio na horizontal formando como uma canoa que vai receber o recheio.
com uma faca faça pequenos cortes de comprido no interior da berinjela tomando o cuidado para não danificar a casca isso fará com que a berinjela tenha pequenos sulcos.
Com as mãos passe um pouco de sal no interior e na face da berinjela que recebera o recheio e deixe descansar enquanto preparamos o recheio.

Recheio:

O preparo do recheio não tem muito segredo é como preparar um vinagrete sem vinagre, corte a cebola os tomates em cubinhos, as azeitonas picadinhas, esprema um dente de alho . Adicione a sardinha amassando ela e misturando com os temperos( aqui pode ir sal, pimenta do reino, limão… dando um pouco do seu toque ao prato, só lembrando que a sardinha já é um pouco salgada e você já pós sal na berinjela).

Eu aprendi a retirar a escama e as entranhas da sardinha(espinhas e tal) antes de preparar, tem gente que prefere trabalhar com ela inteira, mas como você vai meio que triturar e amassar a sardinha misturando tudo no recheio acho que fica melhor sem estas coisas.

Com o recheio pronto voltamos as Berinjelas. Lave elas pra retirar o excesso de sal e dê umas espremidas para retirar um pouco do liquido delas, você vai notar que ela vai dar uma murchada.
depois disso coloque as em uma Forma Fulgor com as cascas voltadas para baixo.

Com uma colher vá colocando o recheio na berinjela preenchendo seus sulcos ate cobrir a berinjela e só ver o recheio sobre ela.

Tampe a forma e deixe em fogo baixo por aproximadamente  15 minutos, ela deve formar bastante água, com um garfo teste se a berinjela esta cozida, ela deve estar um pouco mole.
Deixe a forma com a tampa semi aberta, aumente o fogo e deixe secar (eu particularmente deixo ate começar a queimar um pouco a casca ai desligo)

A Receita rende quatro porções grandes, que vão muito bem acompanhadas com arroz branco.

 

Ps. Na próxima vez prometo tirar fotos do processo pra ilustrar melhor.